segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

SINFUMC - Comunicado aos associados e público diverso


Assessoria

Enfermeira é diagnosticada com câncer e família pede doações para tratamento


A enfermeira cajazeirense Roane Ramalho de França, de 24 anos, foi diagnosticada com câncer no fígado, o resultado do exame saiu na última sexta-feira (17). A jovem precisou mudar sua rotina para dar inicio ao tratamento.

Familiares e amigos estão fazendo campanha nas redes sociais para arrecadar dinheiro que será usado para custear todo o tratamento a ser feito em um hospital no Ceará.

AJUDE - As doações podem ser feitas na conta da mãe de Roane:

Caixa Econômica Federal (Conta Poupança)
Agência: 0040 / OP: 013 / Conta 3448-7
Katyane Mahilda Arruda Ramalho de França

Com reforma, país poderia economizar R$ 1 trilhão em 10 anos, aponta pesquisa


Em 2017, rombo previdenciário chegou a R$ 268,79 bilhões

O Brasil poderia economizar cerca de R$ 1 trilhão até 2028 com a aprovação da reforma da Previdência proposta pelo governo federal. A informação é da Confederação Nacional da Indústria (CNI), que mostra que, com esse montante, seria possível construir 221,6 mil escolas ou 40,7 mil hospitais.

Em relatório divulgado recentemente, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) afirma que até 2050, se o sistema continuar operando da forma como está, o Brasil pode ter 17% do PIB comprometido só para pagar aposentadorias.

“Claro que esses números do relatório são apenas estimativas. Então, não vão acontecer exatamente essas proporções que estão na pesquisa, mas é muito importante observar a tendência desses números. Ou seja, se continuar como está, de fato, o gasto com previdência no Brasil deverá absorver uma proporção muito grande dos gastos”, aposta o especialista em finanças Marcos Melo.

Atualmente, ainda segundo o relatório, o país já gasta 9,1% do PIB com pagamento de aposentadorias. Para o economista Otto Nogami, se continuar nesse ritmo, as despesas com a previdência comprometerão uma parcela cada vez maior dos investimentos do governo.

“À medida que isso não é feito e é deixado em segundo plano, lógico que, com o passar do tempo, o problema tende somente a se agravar. Infelizmente chegamos a um momento de crise, de recessão, onde o aspecto arrecadatório do governo despenca. Então, assustadoramente, quando a gente pega os dados com relação a 2017, o pagamento de benefícios chega a 48% da receita líquida do governo. É um aspecto que vulnerabiliza as contas do governo, imaginando quase 50% indo só para o pagamento de aposentadoria”, avalia Nogami.

Rombo em 2017

A Secretaria da Previdência do Ministério da Fazenda apresentou recentemente os números relativos ao ano passado. De acordo com o balanço, o deficit previdenciário chegou a R$ 268,79 bilhões, rombo 18% maior do que o registrado em 2016. O resultado é a soma dos prejuízos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e dos Regimes Próprios dos Servidores Públicos (RPPS) da União.

O economista do Departamento de Assuntos Fiscais e Sociais do Ministério do Planejamento, Arnaldo Lima, explica por que essa tendência demonstra a necessidade de reforma no sistema previdenciário.

“Nós temos um déficit previdenciário, ou seja, as despesas são maiores do que as receitas. Incluímos milhões de pessoas nos últimos 17 anos, aumentamos o valor do benefício de R$ 274 para R$ 1.200 nesse período e a duração do benefício aumentou em quatro anos. Ou seja, estamos incluindo mais pessoas, por mais tempo, com um valor maior”, disse o especialista.


Por Jalila Arabi e Marquezan Araújo

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

SINFUMC - Oficio Circular Nº 01/2018


Assessoria

Aposentadoria rural não será contemplada na reforma


A previsão é de que o texto da reforma seja votado ainda em fevereiro

Para quem estava preocupado com mudanças na aposentadoria rural, a notícia é boa. Por se tratar de um tema polêmico, o governo Federal resolveu deixar a aposentadoria rural de fora do texto da reforma da Previdência. Na última quarta-feira (07), foram apresentadas mudanças no texto, mas as regras para os mais de sete milhões e meio de agricultores familiares se aposentarem continuam as mesmas.

De acordo com a proposta inicial, tanto homens como mulheres do campo deveriam se aposentar aos 65 anos de idade e com 25 anos de contribuição obrigatória. No entanto, ficaram mantidas as idades de 55 anos para mulheres e 60 para homens. A contribuição, nesse caso, fica por conta do percentual da produção.

“De moro geral, precisa ser feito um ajuste na Previdência. Mas não necessariamente vai-se conseguir passar todos os pontos. Então, do ponto de vista político, é interessante que você deixe de lado alguns aspectos para que outros aspectos mais importantes possam ser ajustados”, avalia o especialista em finanças Marcos Melo.

Ainda de acordo com Melo, um fator que pode contribuir para o déficit da Previdência são as fraudes em torno do sistema das aposentadorias rurais. Dados da Secretaria de Previdência apontam que, nos últimos quatro anos, foram cancelados mais de 37 mil benefícios irregulares.

O prejuízo causado pelos atos ilícitos chegou a R$ 406,5 milhões no período. Para o especialista, os órgãos fiscalizadores precisam inibir esse tipo de crime. “Precisa ser feita uma melhoria com relação à forma como todo o procedimento é feito. Mas ele não faz parte propriamente do conjunto da reforma da Previdência. Essa é uma questão puramente administrativa."

As aposentadorias rurais começaram antes da Constituição de 1988, com o Fundo de Assistência e Previdência do Trabalhador Rural (Funrural). O benefício era de meio salário mínimo e a pensão não podia passar de 30% do benefício principal. A proposta da reforma da Previdência tem previsão de ser votada até o dia 28 de fevereiro no Congresso Nacional.



Por Marquezan Araújo e Jalila Arabi

Descartada do governo, vice-prefeita de Cachoeira dos Índios detona prefeito e ensaia rompimento político


Eleita vice-prefeita de Cachoeira dos Índios, a comerciante conhecida como “Guia da Farmácia” (PTB), não participa de nada do governo municipal.

Descartada das ações por determinação do prefeito Alan Seixas (PSB), a vice-prefeita anda desgostosa com o tratamento e ensaia o anúncio oficial do rompimento politico com o grupo do gestor de plantão.

Nem um pouco preocupado com o posicionamento de Guia da Farmácia, o prefeito Alan Seixas revelou a amigos que a insatisfação da vice-prefeita já era esperada. Segundo o gestor, ela teria feito algumas exigências surreais no início do governo.

Por outro lado, a vice-prefeita acusa o prefeito Alan Seixas de nepotismo e centralizador. Segundo ela, as secretarias e quase todos os cargos comissionados da prefeitura são ocupados por parentes do gestor ou de sua esposa.


Com informações de Resenha Politika

Jeová Campos reitera discurso do governador no retorno dos trabalhos da ALPB e enaltece avanços da Paraíba no governo do PSB


“É inegável que a Paraíba avançou, progrediu e cresceu em vários aspectos nos últimos sete anos, nas gestões do governador Ricardo Coutinho e eu endosso o que foi dito pelo governador hoje pela manhã”, disse o deputado estadual Jeová Campos logo após o encerramento da reabertura dos trabalhos da Assembleia Legislativa da Paraíba, realizada no auditório do Ministério Público Estadual (MPE), na manhã desta quinta-feira (15).

Para o parlamentar, que durante o recesso não parou suas atividades políticas e aproveitou para visitar as bases no sertão e em outros locais do estado, um dos indicadores mais evidentes de que o atual governador é um gestor que olha para o futuro, mas que tem ações concretas no presente, é o ‘Programa Caminhos da Paraíba’. “Esse Programa tirou 54 cidades do isolamento asfáltico, ou seja, abriu horizontes e novas perspectivas para milhares de pessoas. Ricardo fez o que nenhum outro governante fez”, destaca Jeová.

Ainda segundo Jeová, outra área que merece destaque na gestão do PSB é a Educação. “Acompanho de perto essa área que me interessa particularmente, pois sempre defendi que é a partir da Educação que o cidadão pode mudar a sua história para muito melhor e vejo na atuação do secretário Aléssio Trindade os reflexos de um governo que investe numa área vital que hoje disponibiliza 100 escolas funcionando em tempo integral, o que representa 33% de toda a rede no estado, além de diversas escolas profissionalizantes que estão preparando nossos jovens para ingressar no mercado de trabalho como mão de obra qualificada”, disse Jeová.

Para o deputado, a expectativa de retorno aos trabalhos legislativos é a melhor possível. “Teremos um ano atípico, de copa do mundo, de eleições, de muitos feriadões, mas acredito que teremos um parlamento atento às questões importantes e voltado aos interesses do povo paraibano”, destacou Jeová.


Ascom

LBV promove campanha que beneficia crianças com material pedagógico, na Paraíba


LBV apoia famílias para que seus filhos sejam motivados a frequentar a escola
De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem 11,8 milhões de analfabetos. Esse número corresponde a 7,2% da população que tem 15 anos ou mais de idade. Na faixa etária igual ou superior aos 60 anos, o índice alcança 20,4%. A região Nordeste registra o maior percentual de analfabetismo (14,8%), número quase quatro vezes maior do que as taxas estimadas para o Sudeste (3,8%) e para o Sul do país (3,6%).

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Ministério da Educação (MEC) também divulgaram em 2017, pela primeira vez, indicadores de fluxo escolar na Educação Básica. Os dados revelam que 12,9% e 12,7% dos alunos matriculados na 1ª e 2ª séries do Ensino Médio, respectivamente, se evadiram da escola entre 2014 e 2015, de acordo com o Censo escolar. O 9º ano do Ensino Fundamental teve a terceira maior taxa de evasão (7,7%), seguido pela 3ª série do Ensino Médio, com 6,8%. Considerando-se todas as séries do Ensino Médio, a evasão chega a 11,2% do total de alunos. A evasão é maior nas escolas rurais, em todas as etapas de ensino. Os indicadores de promoção e de repetência, apesar de não serem inéditos, demonstram que a repetência na 1ª série do Ensino Médio atinge 15,3% e que o índice igualmente é alto no 6º ano do Ensino Fundamental, com taxa de 14,4%.

Mudar essa triste realidade requer o esforço de todos e a atuação conjunta dos governos, da sociedade civil e da iniciativa privada, além do imprescindível apoio das famílias e dos educadores. Em suporte a todas essas ações, a LBV realiza, anualmente, a campanha Criança Nota 10 — Proteger a infância é acreditar no futuro!, que, em 2018, entregará mais de 22 mil kits de materiais escolar e pedagógico, em todo o Brasil.

Na Paraíba, cerca de mil alunos, oriundos da zona rural de Alagoa Grande/PB e das cidades de Campina Grande e João Pessoa/PB serão beneficiados com os kits de materiais pedagógicos da referida campanha.

Para angariar as doações, a Instituição conta com a solidariedade do povo brasileiro. Os donativos para a campanha podem ser feitos pelo site www.lbv.org ou pelo tel. 0800 055 50 99. Outras informações, acesse o perfil da LBV no Facebook, no Instagram e no Youtube, por meio do endereço “LBVBrasil”.


Assessoria - LBV

Acelerador Linear chagará ao Hospital Regional Deputado Janduy Carneiro

Para aumentar o acesso da população ao tratamento contra o câncer no SUS, o Governo Federal expandiu a distribuição dos aparelhos utilizados nas sessões de radioterapia, conhecidos como aceleradores lineares. Ao todo serão entregues pelo Ministério da Saúde 140 aceleradores lineares em todo país. 

O Hospital Regional Deputado Janduy Carneiro, em Patos, está entre os beneficiados. Cerca de 500 milhões de reais foram investidos para adquirir 100 desses aparelhos, além da realização de projetos e obras. Os outros 40 aceleradores serão adquiridos com recursos de convênios. Essa medida vai garantir a cobertura no Sistema Único de Saúde (SUS) de mais de 70 milhões de brasileiros, como explica o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

“Estamos atendendo 74% das pessoas dentro do prazo da lei, e só poderemos atender a todos com a implantação desses equipamentos. A radioterapia depende de construção, instalação, nós precisamos cuidar para que a radiação deles não vaze, não afete as pessoas. Então nós temos um esforço muito grande, mas esses 140 novos equipamentos, somados aos que já temos, são suficientes para dar cobertura a todos os 150 milhões de brasileiros que dependem exclusivamente do SUS”.

Atualmente, o Brasil possui 243 aparelhos para tratamento de radioterapia em funcionamento na rede pública. Até 2019, considerando a inclusão de novos aparelhos, substituições e habilitações, o país passará a contar com 331 aceleradores lineares disponíveis para atendimento à população.


Por Janary Damacena – Agência do Rádio

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Prefeitura de Cajazeiras acusa Márcia Fellipe de quebra de contrato e quer cachê de volta


A Prefeitura de Cajazeiras, no Sertão paraibano, está acusando a produção da cantora Márcia Fellipe por uma possível quebra de contrato. O prefeito da cidade, José Aldemir (PP), informou que a banda havia sido contratada para realizar um show de 1h40, porém a apresentação durou cerca de 1h.

Segundo o gestor, há um acordo firmado entre a administração e o Ministério Público Estadual para que a festa dure até às 4h. Porém, a banda deu início à apresentação quando já passava das 3h da manhã.

“No contrato com Márcia Fellipe foi firmado um show de 1h40. Para que isso ocorresse, estavam marcadas duas apresentações, uma em Caicó no Rio Grande do Norte e outra aqui, a previsão era de que ela chegasse às 00h. Depois de tudo feito, a gente pagou 50% e a banda fez um terceiro contrato e arbitrariamente mudou o horário dela chegar”, disse.

De acordo com José Aldemir, a cantora cobrou um cachê de R$ 138 mil. Agora, ele irá se reunir com a assessoria jurídica do município e com a Procuradoria para analisar quais as providências que devem ser tomadas.

“Ela descumpriu o contrato, o show foi lamentável em termo de qualidade, sob todos os aspectos”, finalizou. Nas redes sociais, a cantora agradeceu a apresentação, mas foi alvo de críticas dos fãs.


Da redação com MaisPB

Banco e Governo realizam consulta sobre financiamento para recursos hidricos


U$ 138 milhões do Financiamento serão destinados ao aumento da segurança hídrica
O Governo do Estado, juntamente com o Banco Mundial, realiza, nesta quinta-feira (15), a primeira consulta pública para preparação do projeto de financiamento no valor de U$ 138 milhões que serão destinados ao aumento da segurança hídrica no Estado, adotando uma visão integrada das diversas questões relacionadas à gestão dos recursos hídricos. A consulta acontecerá às 9h, no auditório da Cooperativa de Assistência Médica dos Servidores da Suplan e do DER Ltda (Comseder), no prédio sede da Secretaria de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia (Seirhmact) e do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), em João Pessoa.

A consulta pública é uma exigência do Banco Mundial e tem como principal objetivo apresentar as Políticas de Salvaguardas Sociais e Ambientais do Banco Mundial identificadas para o projeto, que buscam assegurar a integridade e sustentabilidade social e ambiental. A consulta ainda tem como finalidade garantir a participação social, na fase de contratação dos estudos ambientais para que sejam incorporadas sugestões e comentários relevantes para a análise. Com a aprovação do termo de referência, haverá a contratação de um especialista para analisar os possíveis impactos ambientais a fim de reduzi-los.

Estarão presentes durante a primeira consulta pública, representantes do Tribunal de Contas do Estado, do Fórum de Combate à Corrupção, da Procuradoria Geral do Estado, dos órgãos ambientais e reguladores, Conselhos Estaduais de Recursos Hídricos, entre outros.

Na próxima semana, um grupo de consultores do Banco Mundial estará novamente na Paraíba para dar continuidade ao processo de elaboração do projeto de financiamento. A melhoria da avaliação fiscal do Estado pelo Tesouro Nacional permitiu que a Paraíba tivesse capacidade de endividamento e pagamento e, assim, ter aprovada a operação de crédito.

Secom

Candidatos poderão usar recursos próprios em campanhas eleitorais

A resolução do TSE também traz a possibilidade de financiamento coletivo da campanha por meio de plataformas na internet

De acordo com resolução publicada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), além dos recursos partidários e doações de pessoas físicas, os candidatos poderão usar recursos próprios em suas campanhas, na modalidade chamada de autofinanciamento.

Com isto, haverá limite de gastos com as campanhas. O valor máximo será de R$ 70 milhões. Nas eleições para o cargo de governador, os valores vão de R$ 2,8 milhões a R$ 21 milhões, conforme o número de eleitores do estado. Já para a disputa de uma vaga no Senado, os limites variam de R$ 2,5 milhões a R$ 5,6 milhões, também conforme o número de eleitores do estado. Para deputado federal, o limite é de R$ 2,5 milhões, e de R$ 1 milhão para as eleições de deputado estadual ou distrital.

A resolução também diz que, além da doação ou cessão temporária de bens e serviços, as doações poderão ocorrer inclusive por meio da internet. No caso das doações bancárias, vai ser necessário constar o CPF do doador. Além disso, as doações financeiras de valor igual ou superior a R$ 1.064,10 só poderão ser feitas por transferência eletrônica entre as contas bancárias do doador e do beneficiário da doação.

Outra novidade que a resolução traz é a possibilidade de financiamento coletivo da campanha por meio de plataformas na internet. Para isso, a plataforma deve ter cadastro prévio na Justiça Eleitoral. Neste caso, serão exigidos o recibo da transação, identificação obrigatória, com nome completo e CPF do doador; o valor das quantias doadas individualmente, forma de pagamento e as datas das doações.

Lembrando que essas informações deverão ser disponibilizadas na internet e deverão ser atualizadas instantaneamente a cada nova doação. Estes dados deverão ser enviados imediatamente à Justiça Eleitoral.

Segundo o calendário eleitoral de 2018, o tribunal tem até o dia 5 de março para confirmar todas as normas para o pleito deste ano.


Por Cintia Moreira – Agência do Rádio

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Segurança e alegria marcam o Carnaval 2018 em Cajazeiras


O Carnaval de Cajazeiras chegou ao quarto dia, com o corredor da folia e as praças alternativas recebendo grande público - todas as noites. Os blocos também têm conseguido atrair muita gente, movimentando toda a cidade. O prefeito José Aldemir e sua equipe já comemoram o sucesso do evento.

O segundo evento carnavalesco desta gestão do prefeito José Aldemir aconteceu com muita animação e paz, o que tem motivado muitos elogios por parte dos foliões cajazeirenses e visitantes. O prefeito destacou a importância de ver as famílias participando alegremente da tradicional festa de momo.

Vale destacar a segurança e tranquilidade do evento, fatores importantes que tem atraído os foliões para vir brincar o Carnaval em Cajazeiras.


Secom

Pedro Cunha Lima desmente matéria veiculada em site de Cajazeiras. “Não apoio a reforma da Previdência”


O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB), falou na última segunda-feira (12), a um da região e desmentiu matéria vinculada em um site de Cajazeiras. O referido fato teria ocorrido dias atrás, onde o mesmo e, o seu pai, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), apoiariam a Reforma da Presidência.

Contundente, Pedro afirmou; “Não há qualquer possibilidade da gente apoiar a Reforma da Previdência, eu falo por mim e o senador Cássio, estamos trabalhando para ter um país mais correto, mais sério”, declarou o deputado.


Com informações de Silvano Dias