.

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Partidos podem apresentar declaração de ausência de movimentação financeira até dia 2 de maio

Após a aprovação da Lei nº 13.165/2015, conhecida como minirreforma política, os órgãos diretivos dos partidos políticos nos municípios que não tenham movimentado recursos no durante todo o exercício financeiro podem apresentar uma simples declaração de ausência de movimentação financeira, para que se cumpra a obrigação de prestação de contas à Justiça Eleitoral.
Conforme previsto no art. 32, §4º, da Lei dos Partidos Políticos (Lei nº 9.096/95), "os órgãos partidários municipais que não hajam movimentado recursos financeiros ou arrecadado bens estimáveis em dinheiro ficam desobrigados de prestar contas à Justiça Eleitoral, exigindo-se do responsável partidário, no prazo estipulado no caput, a apresentação de declaração da ausência de movimentação de recursos nesse período". O prazo mencionado continua sendo o dia 30 de abril de cada ano, prorrogado para 02 de maio em 2016 (Entrega das prestações de contas partidárias pode ser feita até 02 de maio).
Res. TSE nº 23.464/2015, que regulamentou as normas de contabilidade e finanças dos partidos políticos, dispôs sobre a declaração de ausência de movimentação financeira, detalhando os procedimentos a serem adotados pelos órgãos diretivos municipais, no art. 28, § 3º, transcrito abaixo:
Art. 28 (...)
§ 3º A prestação de contas dos órgãos partidários municipais que não tenham movimentado recursos financeiros ou bens estimáveis em dinheiro é realizada por meio da declaração de ausência de movimentação de recursos no período, a qual deve ser apresentada no prazo estipulado no caput e deve ser:
I preenchida de acordo com o modelo disponível na página do Tribunal Superior Eleitoral na internet;
II assinada pelo tesoureiro e pelo presidente do órgão partidário, que são responsáveis, inclusive criminalmente, pelo teor da declaração prestada;
III entregue, fisicamente, ao juízo competente para a análise da respectiva prestação de contas; e
IV processada na forma do disposto nos arts. 45 e seguintes desta resolução.

Dessa forma, para elaborar a declaração de ausência de movimentação financeira, o partido político deve acessar a página do Tribunal Superior Eleitoral na Internet (CLIQUE AQUI E ACESSE O FORMULÁRIO PARA GERAR A DECLARAÇÃO DE AUSÊNCIA DE MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA), preencher o formulário online disponível, imprimir e encaminhar à Justiça Eleitoral competente, no caso dos órgãos partidários nos municípios, o Juiz Eleitoral.
Res. TSE nº 23.464/2015 não deixa claro se há necessidade de constituição de advogado para a apresentação da declaração de ausência de movimentação financeira, entretanto, como será gerado um processo judicial, que será instruído com edital a ser publicado, extratos bancários recebidos por processo eletrônico, e informações advindas de outros órgãos da Justiça Eleitoral, com possibilidade de impugnação da declaração e manifestação do ministério público, de modo que fica claro ser necessária a atuação de profissional da advocacia.
É preciso alertar que informações falsas podem acarretar processo por crime de falsidade ideológica para fins eleitorais contra os infratores, além de outras infrações previstas na legislação eleitoral.

novo eleitoral

Co-autora do pedido de impedimento de Dilma fala à comissão especial no Senado Federal

Janaína Paschoal
co-autora do pedido de impedimento da presidente Dilma Rousseff
Em dura manifestação na comissão especial do impeachment no Senado, a advogada e professora de Direito Janaína Paschoal acusou na última quinta-feira (28) a presidente Dilma Rousseff de ter praticado crimes de responsabilidade e crimes comuns, defendeu que o processo que pode levar a petista a deixar o poder deve ser analisado também sob a ótica do escândalo do petrolão e afirmou que, ao praticar reiteradamente pedaladas fiscais para maquiar contas públicas, Dilma não pode alegar ser inocente. "Ninguém fez nada diante do quadro dantesco de crimes a olhos nus. Se eu tivesse alguma dúvida do dolo ou do conhecimento da presidente sobre os fatos não teria apresentado a denúncia. Mas eu tenho convicção [dos crimes]", afirmou.

"Pedaladas fiscais foram a maior fraude que eu já vi na vida. Faz 20 anos que advogo no crime e nunca vi nada igual", disse ela. Janaina detalhou a prática de pedaladas fiscais e argumentou que a presidente não quis cortar custos diante do caixa à míngua porque estava em plena campanha à reeleição e, depois, nos primeiros momentos do segundo mandato. Por isso, afirmou a jurista, o Executivo atuou deliberadamente atrasando o repasse de recursos do Tesouro a bancos públicos, como o Banco do Brasil, e omitindo passivos da União junto a essas instituições. A adoção desse tipo de prática, batizada de pedaladas fiscais, viola a Lei de Responsabilidade Fiscal, já que a legislação proíbe que instituições como o BNDES financie seu controlador - neste caso, o governo. "Foram anos de falsidade ideológica na nossa cara e ela é inocente?", questionou. "Diante de um golpe dessa magnitude vou me omitir? Como vou dormir com isso sabendo que está cheio de gente humilde condenado por coisa pequena?".

Segundo Janaína Paschoal, a presidente Dilma tinha opções legais para não praticar as pedaladas quando detectou que a situação financeira não era favorável. "Quando ela sabe que não vai ter dinheiro, que ela contingencie despesas discricionárias, mas não queria parar de gastar em ano eleitoral ou no início do segundo mandato", disse, citando como alternativas demitir apadrinhados políticos, cortar "hotel milionário" em viagens oficiais e reduzir o número de ministérios. "Tem crimes de sobra de responsabilidade e tem crimes de sobra comuns", resumiu.

Embora a denúncia por crime de responsabilidade tenha sido acolhida na Câmara dos Deputados apenas em relação às pedaladas fiscais e à liberação de crédito suplementar sem autorização do Congresso, Janaína Paschoal disse que os senadores, nesta nova fase do impeachment, devem considerar também as denúncias de corrupção investigadas pela Operação Lava Jato e pedaladas específicas levadas a cabo por meio do Programa de Sustentação de Investimentos (PSI), conhecido como "Bolsa Empresário". O programa, já encerrado pelo governo, foi aniquilado com um passivo de mais de 200 bilhões de reais, sendo que boa parte do valor, ou cerca de 180 bilhões de reais, entra na contabilidade da União como dívida pública.

Aos senadores, ela contestou a tese o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, de que pedaladas fiscais tenham sido legais - até segunda ordem do Tribunal de Contas da União (TCU) - e praticadas para, entre outros pontos, beneficiar programas sociais. "Nunca falam do Bolsa Empresário. Por que esse PSI encheu de dinheiro grandes empresários, bilionários? Fala-se que pedaladas foram feitas para pagar equalização dos juros. O governo mandou o BNDES distribuir nosso dinheiro a juros ridículos. Só que o BNDES, ao captar esse dinheiro, tinha que pagar juros elevadíssimos. Isso gerou empregou ou riqueza para o país? Pagamos para rico e bilionário ganhar dinheiro a nossas custas. Esse é o governo que se preocupa com o social", atacou a jurista.

Sobre a Operação Lava Jato, citou a denúncia do Ministério Público Federal segundo a qual repasses do Grupo Odebrecht foram enviados ao exterior em forma de propina e depois remetidos de volta ao Brasil. "Enquanto tem gente assinando carta contra [o juiz] Sergio Moro, eu tenho lido as sentenças dele. No caso da Odebrecht, as contas bancárias das quais partiram as propinas pagas no âmbito do petrolão estão em Angola. Nosso dinheiro foi sob sigilo para Angola, para empresas representadas pelo ex-presidente, indissociável da atual presidente. O marqueteiro [João Santana], que está preso, foi prestar serviço em Angola, e o dinheiro da propina veio de Angola", relatou a professora. "Se a presidente não é alvo de inquérito devia ser", afirmou.

Uma planilha de contabilidade paralela feita pela construtora Odebrecht e apreendida pela Polícia Federal mostra repasses do grupo do herdeiro Marcelo Odebrecht para o marqueteiro João Santana. Os pagamentos somam 21,5 milhões de reais e foram feitos entre outubro de 2014 e julho de 2015, período da campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff e dos primeiros meses do segundo mandato da petista, já sob efeito da Operação Lava Jato. Os repasses variam de 500.000 reais a 1 milhão de reais. "O dinheiro que foi mandado para as ditaduras pouco transparentes e amigas voltaram no petrolão", disse Janaína Paschoal.

Civismo seletivo - Nos acalorados debates sobre o impeachment, Janaína Paschoal rebateu as acusações de que teria um "civismo seletivo" por supostamente não exigir investigações sobre outros esquemas de irregularidades. "Não há civismo seletivo. Acho seletivo lutar por algumas ditaduras", alfinetou a jurista. "Não sou a pedidora de impeachment geral da união. Não tenho condição nem saúde de sair de estado em estado pedindo o impeachment de tudo quanto é governo que merece ser impichimado", disse ela.

"O impeachment é um processo sério, dolorido e ninguém fica feliz de precisar pedir o impeachment de um presidente da República. Na época do Collor fui para a rua como cara pintada. Foi dolorido lá, está sendo dolorido aqui. Mas é um processo constitucional, não tem nada de exceção. É um remédio que o constituinte previu para situações em que ocorrem crimes graves".
Eleições antecipadas - Na comissão do impeachment, a jurista Janaína Paschoal também condenou a possibilidade de convocação de eleições antecipadas para presidente e vice-presidente, como defendem senadores ligados ao governo. "Estão com uma moda aí de chamar eleições antecipadas. Não tem previsão constitucional. Isso, sim, é exceção. Não pode. Se a presidente tem que mandar uma PEC [proposta de emenda constitucional] é a prova de que não tem previsão constitucional", afirmou.


Veja
Laryssa Borges, de Brasília

Nome de professor toma corpo e figura como melhor opção para vice de Denise Albuquerque

Após diversas especulações e campanha incitativa de membros de sua emissora e periódico semanal, o nome do professor aposentado José Antônio de Albuquerque, recentemente filiado ao (DEM), ganha musculatura como melhor opção, para figurar ao lado da atual prefeita Denise, como pré-candidato a vice-prefeito de Cajazeiras, nas eleições de outubro próximo.

Professor Zé Antônio, como é popularmente chamado goza de prestigio perante a sociedade cajazeirense e não mantém arestas políticas com as lideranças locais. Na política, Zé Antônio foi vereador e presidente da Câmara Municipal. Por ser um grande historiador, empresário bem sucedido no campo da comunicação, é proprietário da Rádio Alto Piranhas AM e Jornal Gazeta do Alto Piranhas, onde desenvolve um valoroso trabalho de difusão social, atingindo grandes massas.

Os líderes do grupo de situação já dão visíveis demonstrações, que o nome do atual vice-prefeito Júnior Araújo (PTB), não soma, não traz efeito positivo, mesmo ele sendo detentor de exímia articulação política e comandar diversas comissões provisórias de importantes agremiações.

Há quem diga, que os aliados mais próximos do ex-prefeito, da prefeita e até mesmo, vereadores da base de sustentação de Denise, não aceitam o nome de Júnior pelo motivo dele ter acompanhado à campanha do senador Cássio Cunha Lima, nas eleições estaduais de 2014. Esta seria a justificativa mais plausível, porém, o jovem político, é político de gabinete, de escritório e tem como principal prerrogativa – não cumprir com suas promessas.

Ainda de acordo com analistas políticos da “terra do padre Rolim”, os nomes de Rivelino Martins, Léa Silva, Nilsinho e Moacir Filho, estarão à disposição do grupo para avaliação e figurar ao lado de Denise como pré-candidatos a vice. Quem viver verá!


Da redação

Insegurança: Em madrugada de medo, bandidos explodem três agências bancárias no interior da Paraíba e elevam estatísticas

Explosões em dose tripla. Os bandidos voltaram atacar agências bancárias e caixas eletrônicos na Paraíba. E de uma só vez, provocaram as explosões de três bancos em um intervalo de menos de uma hora. As explosões aconteceram madrugada de hoje, sexta-feira (29) na Paraíba.

O primeiro atacante aconteceu na cidade de Fagundes. Segundo informações da Polícia, vários homens armados chegaram à cidade e atentaram contra a agência dos correios da cidade. Já por volta das 04h da manhã, outros dois casos foram registrados. Desta vez na cidade de Juarez Távora.


De acordo com a polícia, homens fortemente armados explodiram os caixas eletrônicos dos bancos Bradesco e do Brasil. Ainda não se sabe se existe alguma ligação entre os casos e se os bandidos conseguiram levar alguma quantia.


PBAgora

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Evento promove empreendedorismo em Cajazeiras, São José de Piranhas e Poço José de Moura

Atividades nas áreas de microcrédito, gestão de negócios e finanças acontecerão entre os dias 2 e 6 de maio nas cidades de Cajazeiras, São José de Piranhas e Poço de José de Moura

Os empreendedores das cidades de Cajazeiras, São José de Piranhas e Poço José de Moura terão oportunidade de participar de uma série de capacitações e orientações durante a Semana Nacional do Microempreendedor Individual (MEI), que começa nesta segunda-feira (2) e segue até sexta-feira (6) em todo o Estado.

Através da Agência do Sebrae em Cajazeiras, os empreendedores da região poderão participar de oficinas do programa SEI (SEI Vender, SEI Empreender e SEI Controlar Meu Dinheiro), voltada para o microempreendedor individual, e também palestras e consultoria sobre a formalização dos empreendimentos. 

A abertura do evento, no dia 2, será na câmara de vereadores da cidade de São José de Piranhas, às 14h, com a oficina SEI Vender, com orientações e consultorias aos empreendedores da área de vendas. No mesmo dia, das 18h às 21h30, a oficina SEI Controlar Meu Dinheiro, na Sala de Treinamentos do Sebrae Cajazeiras, com dicas de controle de finanças dos negócios. A mesma oficina acontece no dia 4, no Memorial da cidade de Poço de José de Moura.  Ainda fazem parte da programação palestras sobre acesso ao microcrédito e empreendedorismo.

De acordo com a gerente da Unidade de Atendimento do Sebrae Paraíba, Márcia Timótheo, o evento é ideal para quem busca fortalecer seu empreendimento ou começar um novo negócio. “Estamos na 8ª edição da Semana do MEI e este já é um evento consolidado no Estado. Oferecemos aos microempreendedores individuais capacitações por meio de oficinas, levando oportunidades para o desenvolvimento e crescimento de seus negócios. Os produtos e serviços do Sebrae ajudam o microempreendedor individual a ser lucrativo e aumentar a chance de sucesso como empresário”, disse.

As cidades de Cajazeiras, São José de Piranhas e Poço de José de Moura têm, juntas, 1.362   microempreendedores individuais. Entre as atividades de destaque, estão: comércio varejista de artigos do vestuário e acessóriosde produtos alimentícios (minimercados, mercearias e armazéns), de artigos de armarinho;  cabeleireiros, serviço de táxi; lanchonetes (casas de chá, de sucos e similares).
               
A 8ª edição da Semana do MEI conta com apoio do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Sistema de Cooperativa de Créditos do Brasil (SICOOB), Banco do Nordeste do Brasil (BNB), prefeituras locais, SENAI, Faculdade Internacional da Paraíba (FPB) e prefeituras municipais.

Semana do MEI - A Semana Nacional do Microempreendedor Individual vai oferecer palestras, consultorias e capacitações entre os dias 2 e 7 de maio em 39 cidades do Estado. O evento, que é gratuito, é uma oportunidade de tornar mais acessíveis capacitações e orientações sobre as vantagens da formalização, regularidade fiscal e benefícios conquistados para os microempreendedores individuais, sobretudo em época de crise econômica e baixas nas ofertas dos postos de trabalho.

Nesta edição, em todo o Estado, participam as cidades de João Pessoa, Bayeux, Cajazeiras, São José de Piranhas, Poço José de Moura, Campina Grande, Araruna, Pedra Lavrada, Cuité, Nova Floresta, Sossêgo, Picuí, Solânea, Dona Inês, Baraúna, Guarabira, Belém, Araçagi, Itaporanga, Piancó, Coremas, Conceição, Monteiro, Sumé, São Sebastião do Umbuzeiro, São João do Tigre, Camalaú, Congo, Coxixola, Caraúbas, Serra Branca, Amparo, Ouro Velho, Prata, São José dos Cordeiros, Patos, Pombal, Sousa e Uiraúna.

O que é o MEI - Os microempreendedores individuais integram categoria de empresa que fatura, no máximo, R$ 60 mil por ano, e atua em diversos ramos de atividades, como ambulantes, artesãos, vendedores de roupa, costureiras, cabeleireiros, pedreiros, eletricistas, jardineiros e encanadores.  De acordo com a Receita Federal, dos mais de 127 mil pequenos negócios no Estado, 84.110 são microempreendedores individuais (equivalente a 66%). No último ano, foram formalizados 42 MEI por dia, gerando um percentual de crescimento de 22,5% nesta categoria empresarial de abril de 2015 a abril de 2016.

Dia 2
oficinas
14h00 | SEI Vender
Local: Câmara de Vereadores - São José de Piranhas-PB

18h30 às 21h30 | SEI Controlar meu dinheiro
Local: Sala de Treinamento do Sebrae

Dia 3
Palestra
14h00 Crédito para o MEI (Empreender Cajazeiras)
Local: Sala de Treinamento do Sebrae

Oficina
18h30 às 21h30 | SEI Controlar meu dinheiro
Local: Sala de Treinamento do Sebrae

Dia 4
Palestra
EMPREENDEDORISMO - Palestrante: Francisco César
Local: Sala de Treinamento do Sebrae

Oficinas
14h00 | SEI Controlar meu dinheiro
Memorial de Poço de José de Moura
Local: Poço José de Moura-PB

18h00 às 22h00 | SEI Empreender
Local: Sala de Treinamento do Sebrae

Dia 5
oficinas
9h00 | MEI - Declaração Imposto de Renda
Local: Sala de Treinamento do Sebrae

Palestra
14h00 | MEI - Abertura de Empresas
Local: Sala de Treinamento do Sebrae

oficina
19h00 às 22h00 | MEI – Modelo de Negócios
Local: Sala de Treinamento do Sebrae


Dia 6
09h00 | ACESSO AO CRÉDITO (Empreender Cajazeiras)
Local: Sala de Treinamento do Sebrae

14h00 | Acesso ao Crédito para MEI
CrediAmigo
Local: Sala de Treinamento do Sebrae


UNIDADE DE COMUNICAÇÃO E MARKETING
SEBRAE PARAÍBA

TRF5 empossa novos juízes titulares

O presidente do Tribunal Regional Federal da 5ª Região – TRF5, desembargador federal Rogério Fialho Moreira, deu posse, na última quarta-feira (27), aos juízes federais Thiago Batista de Ataíde e Rafael Chalegre do Rêgo Barros, ambos da Subseção Judiciária de Campina Grande (SJPB).

Na solenidade de posse conjunta, ocorrida no TRF5, em Recife, o presidente ressaltou as habilidades de um magistrado. “O juiz moderno deve ter não só o conhecimento e a sabedoria de julgar, mas também a capacidade de gerenciar recursos materiais e recursos humanos em prol da celeridade e da eficácia da atividade jurisdicional”. Declarou.

A posse dos novos juízes titulares contou com as presenças dos desembargadores federais paraibanos Ivan Lira (convocado), Alexandre Luna, Rogério Fialho, Manuel Maia (convocado), bem como a do Diretor do Foro da JFPB, Rudival Gama.

A promoção, pelo critério de merecimento, do Juiz Federal Substituto Thiago Batista de Ataíde, da atual 9ª Vara, foi decorrente da remoção do Juiz Federal Rodrigo Maia da Fonte para a Subseção de Monteiro, no Cariri paraibano. Agora, o promovido exercerá a sua função na 15ª Vara da Subseção de Sousa.

Por sua vez, a promoção do Juiz Federal Substituto Rafael Chalegre do Rêgo Barros, hoje na 4ª Vara, decorreu da remoção do Juiz Federal Felipe Mota Pimentel de Oliveira para a SJPE. Chalegre também passará a judicar na 8ª Vara de Sousa.


Seção de Comunicação Social – SECOM

Justiça Federal na Paraíba

Homengem: Radialista Damião Joaquim, o "DJ" terá busto em Praça Pública de Cajazeiras

O radialista Damião Joaquim de Brito – (DJ), que militou na Difusora Rádio Cajazeiras e na Rádio Alto Piranhas, tendo conseguido nesta última se destacar profissionalmente, principalmente no setor policial, vai ter seu busto colocado em praça pública, mas especificamente na Praça que já recebe seu nome, localizada no Bairro dos Remédios.

A família de DJ está convidando os amigos do radialista para a inauguração do busto, que acontecerá no dia 1º de maio, às 8:30hs, justamente quando está sendo completado os 10 anos de sua morte, já que faleceu em 2006, aos 46 anos de idade.

DJ, que antes era caminhoneiro, ingressou em rádio como repórter de pista nas transmissões esportivas na Difusora Rádio Cajazeiras. Depois passou a ser repórter policial quando, ingressou na Rádio Alto Piranhas, além disso, ele apresentava um programa musical aos sábados “Toca tudo, matando saudades”. 

Passou a ser uma figura folclórica na cidade, e tinha uma grande amizade pelo seu jeito brincalhão de ser. “Cadê a sanfona DJ”. “DJ toma cuidado no seu lombo”, era algumas das vinhetas utilizadas durante os programas que o mesmo apresentava.


Fonte: Portais

Ex-juiz da “Lei Ficha Limpa” deixa a magistratura e se filia à REDE

A Rede Sustentabilidade ganha um importante reforço em seus quadros com a filiação do ex-juiz federal Márlon Reis, que anunciou o seu desligamento da magistratura. Além de integrar o partido a partir de agora, ele também tem planos de atuar como advogado especializado em Direito Eleitoral e Partidário. Reis ganhou notoriedade por ter sido um dos autores e defensores da “Lei Ficha Limpa” – que impede o político condenado de disputar as eleições.

O anúncio oficial sobre seu desligamento do Judiciário foi feito durante entrevista coletiva à imprensa, realizada nesta terça-feira, 26 de abril, na sede da seção maranhense da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), em São Luís (MA). Na ocasião, Reis também informou que abrirá um escritório de advocacia para atuar no segmento escolhido. A solenidade contou ainda com a presença do porta-voz nacional do partido, José Gustavo Fávaro Barbosa.

Durante a entrevista, Zé Gustavo aproveitou para dar as boas vindas ao ex-juiz. “É inegável essa contribuição social que o doutor Márlon já deu como juiz. Acredito que ele vai poder trabalhar em outras frentes com toda a sua experiência e colaborar com esse seu conhecimento nas contribuições que a REDE quer dar à sociedade brasileira, na defesa da legislação e dos direitos da minoria. É uma honra contar com ele”, afirmou.

O pedido de exoneração junto à magistratura foi protocolado na última segunda-feira, 25 de abril. O ex-juiz explicou que a decisão foi tomada após alguns anos de reflexão. “Eu devo muito à magistratura. Nunca esquecerei o que conquistei e aprendi nesses 19 anos como juiz. Mas volto à advocacia porque sinto maior necessidade de expressar um pensamento”, explicou Reis.

Ficha Limpa

O ex-juiz ganhou notoriedade em sua carreira de 19 anos no Judiciário, quando atuava no Maranhão. Naquela ocasião, Reis se notabilizou por participar da elaboração, em 2002, da minuta do projeto que mais tarde se transformou na “Lei Ficha Limpa”, que proíbe políticos já condenados em segunda instância de disputarem as eleições. A proposta de iniciativa popular contou com mais de dois milhões de assinaturas e foi aprovada somente em 2010.


Coordenação de Comunicação

Funcinário da Prefeitura de Cajazeiras morre na madrugada desta quinta(28) vítima de infarto

Faleceu na (UTI) do HRC, na madrugada desta quinta-feira (28) o funcionário da Prefeitura de Cajazeiras, Matias Duarte Rolim, de 52 anos.

Matias foi vítima de um infarto sofrido no início da semana onde estava internado, o mesmo não resistiu e morreu por volta de 1 hora desta quinta.

A notícia pegou os familiares e amigos de trabalho de surpresa.

O corpo está sendo velado no memorial Esperança, ao lado do HRC e o sepultamento está marcado para as 16 horas no cemitério Coração de Maria no Centro de Cajazeiras.



Por Ângelo Lima

Entrevista: Zé Aldemir confirma conversa com Vituriano e desmente boatos

Em entrevista prestada na manhã desta quinta-feira (28), à Rádio Oeste da Paraíba, o deputado estadual e pré-candidato a prefeito de Cajazeiras, José Aldemir Meireles (PP), afirmou que sim, o encontro com o ex-prefeito Antônio Vituriano de Abreu e que o mesmo deixou bastante transparente sua postura e seu apoio à escolha do nome do pré-candidato a vice-prefeito, que ladeará sua chapa nas eleições vindouras. “Conversei com Vituriano e ele declarou que não será candidato nas próximas eleições e nos apoiará em qualquer decisão, ele, de forma tranquila, declarou que não fará imposição alguma sobre a escolha do nome de um companheiro de chapa”.  

Indagado quais nomes o pré-candidato se dispunha ter, José Aldemir citou o nome de Raelza Borges, Ana Goldfarb, Adjamilton Pereira, o próprio Vituriano, Antônio Ricardo (irmão do empresário Deca do Atacadão), Dr. João de Deus Filho, Neguinho do Mondrean e outros. “Nomes bons, nós temos e muitos, isso não será problema, escolher nomes”, frisou.

Em participação na linha interna, um ouvinte questionou por que a construção do cemitério da zona norte não se tornou realidade e se caso o deputado venha ser eleito prefeito de Cajazeiras, esse problema seria resolvido; “Com certeza, chegando á Prefeitura de Cajazeiras – não vejo obstáculo resolver esse problema daquela região, principalmente à construção do Cemitério da Zona Norte de Cajazeiras”, respondeu. Sobre saúde, o pré-candidato citou que a cidade de Cajazeiras figura em 3º lugar no Estado, no ranking epidemiológico. “Não vemos, e se alguém vê uma ação na área da saúde pública em nossa cidade, é tão pequena, que passa despercebida, Cajazeiras vivencia nos dias de hoje, uma verdadeira epidemia de saúde pública, é isso incontestável, é lamentável”, ressaltou.

Sobre dialogo com Antônio Gobira (PSOL), o pré-candidato a prefeito de Cajazeiras afirmou, “Gobira tem o direito de votar e ser votado, ele é um cidadão de bem, já conversei com ele, mas sua intransigência continua, é um direito dele e respeito”, finalizou.


Da redação

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Jeová Campos lamenta saída de João Azevedo da disputa eleitoral em JP

Parlamentar disse que não foi consultado sobre a decisão e afirma que João Azevedo tinha todas as condições técnicas e políticas para ser a cabeça de chapa do PSB.
“Soube da desistência de João pela Imprensa e não fui consultado para dar minha opinião neste assunto, mas, de antemão, lamento a saída dele da disputa, porque entendo que João reunia todas as condições necessárias para bem representar o PSB na disputa pela prefeitura de João Pessoa”, disse na manhã desta quarta-feira (27), o deputado estadual Jeová Campos (PSB). O parlamentar avaliou que uma mudança de rota nesta altura dos acontecimentos precisa ser bem avaliada e reiterou que vai apoiar o nome que o partido definir. “Sou do PSB e o nome que for consenso ou tiver maioria na indicação e escolha do partido  terá meu irrestrito apoio”, afirmou Jeová.

O parlamentar preferiu não emitir nenhuma preferência sobre os nomes que estão sendo colocados como possíveis postulantes (Estela Bezerra, Gervásio Maia e Cida Ramos) para substituir João Azevedo. “Os nomes que se colocam no momento, pelo menos, pela Imprensa, já que não tive nenhuma conversa neste sentido com os meus colegas de partido, são todos merecedores de indicação, de forma que acredito que o PSB saberá conduzir esse processo com a sabedoria que a mudança requer porque o que está em jogo é a ampliação de um projeto político para João Pessoa que recoloque o município no caminho do desenvolvimento como acontece com o estado na gestão de Ricardo Coutinho”, destacou Jeová.

O parlamentar, no entanto, lamentou a saída de João Azevedo da disputa. “Conheço João, tenho uma identidade muito forte com ele, sei da capacidade técnica, política e administrativa que ele tem, e avalio que João Pessoa teria um ótimo administrador, é um dos melhores quadros do partido e está alinhado com uma política de desenvolvimento e crescimento que não enxerga apenas o hoje e tem o olhar voltado também para o amanhã, mas, creio que o PSB saberá conduzir esse processo e escolher um bom nome para substituí-lo com o mesmo foco”, finalizou Jeová.


Assessoria

Hospital Regional de Patos oferece treinamento intensivo de suporte básico e avançado em cardiologia

Enfermeiros e técnicos de enfermagem que atuam na Área Vermelha do Hospital Regional de Patos Dep. Janduhy Carneiro estão participando de um treinamento intensivo de suporte básico e avançado de vida em cardiologia, uma ação de educação continuada que tem por objetivo aperfeiçoar procedimentos operacionais padrões junto à assistência prestada às vítimas de paradas cardiorrespiratórias, bem como às vítimas de politraumatismos.

O curso, o primeiro de vários que serão oferecidos aos funcionários, é uma iniciativa da direção hospitalar, das coordenações de enfermagem e do pronto-atendimento. “É uma maneira de aperfeiçoar e atualizar os funcionários, deixando-os cada vez mais competentes para o desenvolvimento de suas funções, facilitando seus conhecimentos no uso correto dos instrumentos e dos medicamentos, haja vista que alguns protocolos mudam com frequência e eles também precisam dessa atualização. Isso refletirá diretamente no bem-estar da população, daqueles que buscam os serviços hospitalares”, comentou o instrutor Alan Martins.

Alan diz que é alto o índice de pessoas que têm morte súbita por paradas cardiorrespiratórias em Patos e região. Apontas as pessoas mais suscetíveis a paradas cardiorrespiratórias: cardiopatas de longas datas; que fazem uso exagerado de bebidas alcóolicas; cigarro; clima quente, fator ambiental; outros com péssimos hábitos de repouso; não praticam esportes; alguns com determinadas patologias, mas que não aderem ao tratamento, não são acompanhados por especialistas e que são incluídos do rol daqueles com maior risco de sofrer desse mal.

Dentre os assuntos abordados no curso estão a estabilização da via área, reanimação cardiorrespiratória, técnicas especiais de circulação, desfibrilação precoce e uso correto da terapia farmacológica dispensada à parada cardíaca.

Segundo Alan Martins, estima-se que no Brasil ocorram por ano, em média, 750 mil paradas cardiorrespiratórias, boa parte não revertidas, ou seja, a vítima evolui a óbito.


Por Marcos Eugênio

Vituriano conversa com Zé Aldemir em JP e revela que não fará imposição alguma sobre o nome de vice-prefeito para compor chapa

Demonstrando tranquilidade, o médico Antônio Vituriano de Abreu (PMDB), recebeu em sua residência, na Capital paraibana na última semana, o amigo deputado e pré-candidato a prefeito de Cajazeiras, José Aldemir Meireles (PP). 

Na conversa entre as duas lideranças políticas do Sertão – o “Leão” havia dito mais uma vez, que participará da próxima campanha eleitoral em Cajazeiras, mas não figurará como candidato a nenhum cargo eletivo, porém, fará visitas ao lado de Zé Aldemir, discursará nos palanques e pedirá aos seus antigos e fiéis eleitores que votem no seu candidato.

Compreendendo que agindo dessa maneira, o líder político Vituariano de Abreu contribuirá e muito, para a formação de uma grande coligação de forças para enfrentar a máquina comandada pelo ex-prefeito Carlos Antônio, que lidera o grupo político de situação na “terra do padre Rolim”. 

Sobre um nome, ou nomes que serão postos à mesa, para escolha do vice-prefeito de Zé Aldemir, Vituriano não apontou nenhum, e reiterou - que apoiará incondicionalmente a decisão da maioria do grupo. 

De acordo com informações ventiladas pela imprensa local e objetos de pesquisa popular e, inclusive discussões em redes sociais, o nome que aponta como pretenso pré-candidato a vice-prefeito seria o do vereador Alysson Lira, o “Neguinho do Mondrean”, que está em curso do seu primeiro mandato eletivo e tem boa aceitação de eleitores e dos seus colegas vereadores.


Da redação

Romance de padre e uma fiel abala Basílica de Nazaré

Padre teria engravidado fiel
Há 3 meses, um tsunami atingiu a Igreja Católica em Belém. Era tarde da quarta-feira, 27 de janeiro, quando a Basílica Santuário de Nazaré divulgou, em sua página no Facebook, uma nota, informando que o padre Geffison Silva, 32 anos, tinha sido “afastado de suas atividades para descanso e renovação espiritual”. Em poucos minutos, o assunto já estava sendo comentados por milhares de pessoas nas redes sociais.
Às 13h20 do dia seguinte (quinta-feira, 28), o DIÁRIO publicou, em seu portal - o DOL - e em sua página no Facebook, a notícia do afastamento do padre. A reportagem do DOL não trazia nenhuma informação além da notícia que a própria Basílica de Nazaré divulgara um dia antes. Mesmo assim, a onda ganhou ainda mais força. Na página do DIÁRIO no Facebook, a matéria foi vista por cerca de 300 mil pessoas, somando 1.181 compartilhamentos.
Tanto barulho tinha um forte motivo. O padre Gefisson, um dos mais queridos e respeitados pelos católicos de Belém, estaria sendo acusado de ter engravidado três fiéis. Uma das crianças já teria até nascido, há 1 ano. E fontes de dentro da Igreja reforçavam os casos amorosos do religioso. O mais recente deles teria sido com a fotógrafa Jamile Amorin, responsável por registrar missas
realizadas por Geffison.

AMOR

Agora, 3 meses após o início de toda a confusão, o padre Geffison reaparece em fotos românticas, com direito a beijo na boca e buquê de flores. Pelas 3 imagens, que circularam em grupos de redes sociais, fica nítido o amor entre Geffisson e uma moça que, segundo fiéis que a conhecem, é justamente a fotógrafa Jamile. “Eles se casaram e estão felicíssimos”, afirmou uma pessoa próxima ao padre. A mesma pessoa garante que ele largou a batina por causa de Jamile, informação que a Igreja Católica não confirma e nem nega. A verdade é que, pelas fotos, o casal exala a alegria dos novos amantes, trocando beijos carinhosos, afagos e sorrisos apaixonados. Mas quase nada se sabe a respeito dessas fotos. Quando foram feitas? Onde o casal está? Seriam as imagens do dia do casamento? As respostas a essas perguntas são um mistério.
Uma fonte da Arquidiocese de Belém - que pediu para não ter o nome divulgado, temendo represálias -, no entanto, confirma que as fotos são recentes e que “o padre Geffison está muito feliz e apaixonado”. “Ele fez tanta coisa boa pela Igreja e pelos fiéis. Ele merece ser feliz”, diz a fonte.
O padre mais famoso e carismático de Belém reapareceu em fotos românticas, com direito a beijo na boca e buquê de flores. Ele já teria até se casado. (Fotos: Via Whatsapp)
Quando o caso do padre Geffison explodiu em Belém, o DIÁRIO fez uma grande reportagem, tentando esclarecer o assunto. Depoimentos de diversas pessoas contradiziam a nota oficial divulgada pela Basílica de Nazaré para justificar o afastamento repentino do religioso. Temendo represálias da Igreja e de outros fiéis, todos os entrevistados só concordaram em falar sob a garantia de terem seus nomes preservados.
Um funcionário da própria Basílica fez uma revelação forte. Segundo ele, já era de conhecimento da direção da Igreja que o padre Geffison tinha uma filha, nascida há 1 ano. “A mãe dessa criança é uma moça que também trabalhava na Basílica”, afirmou o entrevistado, que passou o nome da mulher ao DIÁRIO, cujas iniciais são N.S. (o jornal optou por não revelar o nome, por respeito aos envolvidos). Um fato intrigante: em sua página na rede social, N.S. deletou todas as fotos que tinha publicado com sua filha, uma menina de aparentemente 1 ano.
OUTRO RELACIONAMENTO
De acordo com o funcionário da Basílica, em outubro do ano passado - poucos dias antes do Círio de Nazaré -, o conselho da igreja se reuniu para tratar de outra situação de Geffison. “Eles tinham ficado sabendo que o padre havia se relacionado com outra moça e que ela estava grávida”, disse. Essa mulher seria a fotógrafa Jamile Amorin, que trabalhava nos eventos comandados pelo padre. Com a nova notícia, os líderes da Basílica decidiram afastar Geffison de suas funções.
Procurada pelo DIÁRIO para falar das novas fotos do padre Geffison, a assessoria da Basílica de Nazaré disse, por telefone, que não comentaria o assunto. Diante da gravidade e seriedade do caso, o jornal insistiu, enviando e-mail à assessoria. Até o fechamento desta edição, porém, nenhuma resposta foi enviada ao DIÁRIO. Não se sabe, sequer, se Geffison ainda é padre ou se foi expulso da Igreja.

Diário do Pará